Mortes de macacos é investigada por equipes de saúde na zona rural de Palmas

Objetivo é saber se animais estão infectados com a febre amarela. Mosquitos da região de Taquarussu Grande também serão recolhidos para análise.

Compartilhe:

A Prefeitura de Palmas informou que a Unidade de Vigilância e Controle de Zoonoses (UVCZ) está investigando relatos de moradores do distrito de Taquarussu Grande sobre mortes de macacos na região. Técnicos estiveram no local nesta sexta-feira (4) e conseguiram localizar e recolher o corpo de um animal morto. O objetivo da investigação é saber se os macacos estavam infectados com a febre amarela.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

A morte de primatas é considerado um ‘evento sentinela’, que pode indicar a circulação do vírus. Além do corpo do macaco, mosquitos da região também devem ser recolhidos para testes.

“A comunicação sobre adoecimento ou morte de primatas não humanos (macacos) às autoridades de saúde locais é de extrema importância para investigação oportuna e avaliação do risco potencial de ocorrência de casos humanos de febre amarela”, disse o gerente da UVCZ, Aurimam Cavalcante. O telefone para denúncia é 3212-7916.

Tanto o macaco como os mosquitos serão analisados no Laboratório Central do Estado (Lacen). A prefeitura destacou que a vacina, oferecida gratuitamente no Sistema Único de Saúde, é a principal forma de prevenção contra a doença.

A febre amarela é uma doença causada por um vírus. Nas Américas, os principais transmissores são mosquitos pertencentes aos gêneros Haemagogus e Sabethes.

*Por G1