Jovem é puxado por hélice de rebocador de balsa em Caseara e vestígios de corpo humano são encontrados na região

Acidente aconteceu após a embarcação encalhar no rio Araguaia durante na travessia entre Tocantins e Pará.

Compartilhe

Luiz Carlos Santos Barros, de 29 anos, foi supostamente ser puxado pela hélice de uma embarcação no rio Araguaia, em Caseara, na região oeste do estado. O acidente aconteceu enquanto a vítima trabalhava na balsa que faz a travessia entre Tocantins e Pará. Buscas foram realizadas pelos bombeiros e fragmentos de corpo humano foram encontrados próximo ao local do acidente. A família acredita que ele não resistiu.

O acidente aconteceu por volta das 23h de sábado (8), após a embarcação encalhar a cerca de 2 mil metros abaixo do porto. O jovem era empregado da empresa que faz a operação da balsa e trabalhava no rebocador quando o acidente aconteceu.

Wanderson Santos Barros, irmão da vítima, contou que a família recebeu uma ligação na noite de sábado, sendo informada que Luiz Carlos havia desaparecido no rio. Eles foram para o local e participaram das buscas junto com funcionários da empresa e pessoas em embarcações, durante toda a madrugada e manhã de domingo (9). Na região foram encontrados parte das roupas que a vítima usava, além da carteira com documentos e o celular da vítima.

Foto: Divulgação

O Corpo de Bombeiros foi chamado e chegou ao local durante a manhã de domingo (9), mas a família disse que as buscas rapidamente foram encerradas pelos militares sem que o corpo de Luiz Carlos fosse totalmente localizado.

Segundo os bombeiros, populares e mergulhadores da corporação encontraram um grande pedaço de corda e alguns pequenos fragmentos de corpo humano como vísceras e ossos. A Polícia Científica foi chamada, recolheu todo o material encontrado e enviou para o Instituto Médico Legal de Palmas.

A família suspeita que o jovem tenha sido puxado pela hélice do rebocador no momento em que jogou um balde para pegar água no rio. O procedimento seria para ativar a bomba utilizada para retirar de água das embarcações.

Luiz Carlos deixou uma esposa e dois filhos, um de cinco anos e uma recém-nascida de apenas quatro meses. Segundo a família, o jovem era muito conhecido e bastante querido na cidade.