Inep seleciona docentes para atuarem como certificadores do Enem

Compartilhe

Os professores  que desejam compor a Rede Nacional de Certificadores (RNC), que atuará na certificação dos processos de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), edição 2017, têm até o dia 7 de agosto para efetuarem suas inscrições.

O edital foi divulgado na terça-feira (18)  pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), destinado a professores que atuam nas redes federal, estadual e municipal, devidamente registrados no Censo Escolar. As inscrições podem ser feitas na página http://certificadores.inep.gov.br ou pelo aplicativo mobile do RNC, disponível para download no Google Play, para Android e no App Store para IOS.

Poderão se inscrever, professores que têm a formação em ensino médio; que não estejam inscritos como participantes do ensino médio e que não tenham parentes inscritos no Enem. Para participar da certificação, os candidatos deverão possuir smartphone ou tablet, com acesso a internet móvel.

A lista dos certificadores habilitados será publicada no Diário Oficial da União e estes participarão de um curso de capacitação, que será realizado em ambiente virtual de aprendizagem na modalidade a distância. Será exigido, dos participantes, um aproveitamento de 70% nas atividades de formação.

Remuneração

O servidor público do Poder Executivo Federal será remunerado por meio de Gratificação por Encargo de Cursos e Concursos (GECC), com um valor de R$ 26,50 por hora trabalhada. O servidor da Rede Pública Estadual e Municipal receberá por meio de Auxílio Avaliação Educacional (AAE), o valor de R$ 318 por dia.

Os professores certificadores receberão suas demandas diretamente do Inep e estes terão que apresentar relatórios de atividades. O RNC certificará os processo de aplicação do Enem, nos dias 5 e 12 de novembro.

De acordo com informações do Inep, esta é a primeira vez que o trabalho é ampliado para docentes, com o objetivo de levar a RNC para a totalidade das coordenações de locais de prova do Enem no Brasil.

 

Compartilhe esta notícia