Homem morto após atacar PM em rodoviária de Gurupi chegou ser expulso de dois ônibus

Segundo apuração preliminar da polícia, o homem saiu de Goiània e foi expulso após apresentar comportamento agressivo em Porangatu e em Gurupi.

Compartilhe:

Antes de atacar um policial militar na rodoviária de Gurupi, no sul do Tocantins, Edmilson Diniz Ferreira, de 29 anos, foi expulso de dois ônibus por apresentar comportamento agressivo. A informação é da Polícia Militar. A suspeita da corporação é de que ele estava passando por algum surto psiquiátrico.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Edmilson Diniz foi morto no início da manhã desta sexta-feira (20) em Gurupi, no sul do Tocantins, após atacar com uma faca e entrar em luta corporal para tentar tomar a arma de um policial militar de 25 anos. Toda a briga foi registrada por uma câmera de segurança.

O policia foi ferido de faca na perna, próximo da artéria femoral, e na mão. O suspeito foi morto com um tiro no peito.

Segundo o coronel Márcio Barbosa, comandante-geral da PM, Edmilson Diniz embarcou em Goiânia com destino ao Maranhão.

“Na cidade de Porangatu (GO) ele já apresentou alguns problemas de comportamento, comportamento agressivo. A empresa de ônibus chamou a Polícia Militar de Goiás, que fez a intervenção e retirou ele do ônibus. Ele foi impedido de prosseguir na viagem pela empresa”, explicou.

A ocorrência foi registrada em Goiás, mas o homem acabou sendo liberado e entrou em outro ônibus até apresentar novamente comportamento agressivo e se expulso no trajeto Porangatu e Gurupi.

“Tudo leva a crer que era alguma pessoa que tem problema psiquiátrico. Em Gurupi a empresa também impediu que ele seguisse viagem. Só que a Polícia Militar não foi chamada, a própria empresa retirou ele do ônibus”, explicou.

O PM também estava na rodoviária porque havia acabado de chegar de viagem. No momento do ataque, ele estava comendo um lanche.

“O militar estava chegando de viagem fardado porque iria assumir o serviço. Desceu do ônibus e enquanto estava tomando café foi surpreendido por esse cidadão”, afirmou.

Foto: Reprodução

Ajuda da população

Após ser atacado de surpresa, o militar caiu no chão e tentou se defender com as pernas. Homens que estavam no local se juntaram para tentar imobilizar o suspeito, que acabou esfaqueando o PM duas vezes antes de ser baleado no peito. No vídeo não fica claro o momento do disparo.

Para o comandante Márcio Barbosa, o caso se tratou de uma legítima defesa. Ele informou ainda que a polícia vai identificar as pessoas que ajudaram o militar e condecorá-los com uma medalha.

“Quando vieram ajudar o policial acabou fazendo com que o policial tivesse oportunidade de se defender, se proteger. A gente só tem a agradecer. Estamos identificando quem são as pessoas que estavam ali e a Polícia Militar vai condecorá-los com uma medalha”, disse o comandante.

Depois da ocorrência o militar foi levado ao hospital e recebeu alta. A Polícia Científica esteve no local e fez a perícia. O corpo de Edmilson Diniz foi levado para o IML de Gurupi.

A Polícia Civil vai abrir inquérito para apurar o caso. Documentos pessoais e uma mochila com as roupas do suspeito morto foram levadas para a Central de Flagrantes.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp.