Homem é preso por furtar calcinhas e usá-las para tirar fotos e mandar para pessoas nas redes sociais

Segundo a polícia, o suspeito disse que tem 'tara' por calcinhas e que não foi a primeira vez que cometeu o crime. Bolsas e perfumes também foram furtados.

Compartilhe:

Um homem foi preso sob suspeita de furtar calcinhas e usá-las para tirar fotos que enviava para pessoas em redes sociais. A prisão ocorreu na última sexta-feira (1º), em Doverlândia, no sudoeste de Goiás. Segundo a Polícia Militar Carlos Uchôa Neto assumiu a autoria dos crimes depois de sua detenção.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

A polícia foi acionada por uma moradora que notou que sua casa havia sido invadida, com a porta danificada e pertences desaparecidos. A mulher suspeitava de Carlos Uchôa, seu vizinho, por ele ter enviado fotos usando calcinhas no rosto para algumas pessoas, incluindo uma amiga, e reconheceu uma das calcinhas nas fotos.

A PM informou que encontrou Carlos após uma busca e, ao ser questionado sobre sua localização anterior, ele afirmou que estava em um rio fora da cidade, o que explicaria por que não foi encontrado. Ele admitiu ter uma “tara” por furtar calcinhas e que não era a primeira vez que cometia esse tipo de crime na cidade. Além das calcinhas, ele também furtou um perfume e uma bolsa.

Foto: Divulgação

Carlos Uchôa Neto foi encaminhado à Delegacia de Caiapônia após um relatório médico. A polícia divulgou fotos relacionadas ao caso. Até o momento desta reportagem, não havia informações disponíveis sobre a defesa de Carlos Uchôa Neto.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp.