Homem é agredido com barra de ferro por seguranças de supermercado em Goiânia

Espancamento ocorreu após seguranças acharem que vítima furtaria uma esponja de aço. Testemunha afirma que homem foi agredido mostrou o dinheiro para pagar as compras.

Compartilhe:

Um homem foi agredido com uma barra de ferro por seguranças de um supermercado em Goiânia, após suspeitarem que ele estaria tentando furtar uma esponja de aço. Segundo relatos da empresária Fabiana Santos, a vítima foi abordada dentro do estabelecimento e mostrou que estava com dinheiro para pagar suas compras.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

O caso ocorreu na noite de sábado (9) em um supermercado localizado no Setor Centro Oeste. Em resposta ao ocorrido, os Supermercados Tatico emitiram uma nota alegando que as análises das câmeras de segurança não corroboraram com os relatos e que aguardam uma investigação policial para esclarecer os fatos.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, a vítima foi socorrida consciente, porém desorientada, apresentando diversos hematomas na cabeça e nos membros superiores. Posteriormente, foi encaminhada ao Hospital Estadual de Urgências Governador Otávio Lage, mas seu nome não foi divulgado.

Fabiana relatou que estava fazendo compras com seu marido quando presenciaram um homem, vestindo apenas cueca, sendo abordado por um funcionário do supermercado. “Ele segurava uma esponja de aço em uma mão e R$ 20 na outra, dizendo: ‘eu não sou ladrão'”, relatou a empresária.

Apesar de ter mostrado o dinheiro, segundo Fabiana, o funcionário acusava injustamente a vítima de tentativa de roubo. “Ele e um segurança o agarraram e o jogaram para fora do estabelecimento”, conta Fabiana. Posteriormente, do lado de fora, o homem teria pedido a outra pessoa que pagasse suas compras.

Após um idoso auxiliar o homem com suas compras, ele teria reclamado com os funcionários sobre a abordagem injusta. “Então, começaram a brigar e cinco homens o agrediram. Chegaram até a usar uma barra de ferro, batendo nele primeiro do lado de fora da rua e depois dentro do mercado”, relata a empresária.

Ainda segundo Fabiana, as agressões só cessaram quando seu marido interveio e a vítima caiu no chão. “Eles pararam e desapareceram, sem acionar nenhum socorro”, destaca. A empresária enfatizou que o homem tinha dinheiro para pagar pelas compras e que foi acusado injustamente.

“Se eles suspeitavam de roubo, bastava chamar a polícia. Não havia necessidade de tamanha violência”, denuncia Fabiana. Ela e seu marido acionaram os bombeiros e a polícia, registrando um Boletim de Ocorrência por lesão corporal. Imagens feitas pelo casal mostram o momento em que a vítima é socorrida, mas devido à falta do nome do homem, não foi possível obter informações sobre seu estado de saúde.

Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp

O que diz o Supermercados Tatico

Os Supermercados Tatico, servem da presente nota para esclarecer que, após a análise das imagens capturadas pelo sistema de monitoramento por câmeras, os fatos não aconteceram conforme o noticiado na imprensa, e que aguarda o desdobramento da investigação policial, sendo que todas as imagens serão apresentadas, no momento oportuno, à autoridade policial competente.

O grupo de Supermercados Tatico, encontra-se estabelecido no Estado de Goiás há 37 anos, referência em seu ramo, e não compactua com qualquer tipo de agressão, e nos colocamos ao inteiro dispor para todos e quaisquer esclarecimentos que porventura se fizerem necessários.

*Com informações do G1