Goleiro Bruno, condenado a mais de 20 anos de prisão pela morte de Eliza Samudio, é contratado por time do Tocantins

Ele foi condenado em 2010 por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado e cumpre pena em regime semiaberto. O atleta foi contratado pelo Araguacema para a reta final do Campeonato Tocantinense.

Compartilhe

Ex-Flamengo e Atlético-MGO, o goleiro Bruno Fernandes foi anunciado na noite desta terça-feira (30) pelo Araguacema para disputar a reta final da do Campeonato Tocantinense. O atleta foi condenado a mais de 20 anos pelo homicídio triplamente qualificado da modelo Eliza Samudio, em 2010, e pelo sequestro e cárcere privado do filho. Atualmente ele cumpre pena em regime semiaberto.

No ano passado o goleiro atuou pelo Rio Branco, do Acre, e teve que usar tornozeleira eletrônica durante os treinos e partidas. Neste ano, Bruno chegou a encaminhar um acordo com o Atlético Carioca da Série C do estadual do Rio, mas o clube desistiu do jogador devido ao assédio de outras equipes.

O Araguacema, clube que leva o nome da cidade que fica na região sul do estado, é terceiro na tabela de classificação, com vaga encaminhada para as semifinais. A competição está suspensa, conforme decreto do governo do Tocantins. A Federação Tocantinense de Futebol (FTF) prevê o retorno do estadual para quinta-feira (1º).

Ao Globo Esporte, Bruno garantiu estar tudo certo para atuar pelo clube tocantinense. “Toda proposta que surge é uma oportunidade de recomeçar. Isso é ótimo”, disse o goleiro.

A diretoria do Araguacema informou nesta quarta-feira (30) que aguarda a liberação da documentação para definir a data de apresentação do jogador. O empresário responsável pela contratação não quis comentar a situação jurídica de Bruno e o processo de execução penal não está disponível para consulta.

Bruno saiu da cadeia em Varginha, no Sul de Minas, em julho de 2019, após conseguir progressão para o regime semiaberto. Em 2020, aos 36 anos, ele disputou a Série D do Brasileiro pelo Rio Branco, o primeiro clube onde teve uma sequência de jogos após cumprir parte da pena em regime fechado.

O corpo de Eliza Samúdio nunca foi encontrado. As buscas foram encerradas em 2014.