Família oferece recompensa a quem ajudar encontrar idoso sumido há quase uma semana no Tocantins

Vilmar Divino Barbosa, de 61 anos, é morador de Miranorte, tem Mal de Alzheimer e deficiência visual. Idoso foi visto pela última vez em missa na cidade.

Compartilhe

Uma família faz buscas na tentativa de encontrar Vilmar Divino Barbosa, de 61 anos, desaparecido há quase uma semana, em Miranorte, região central do Tocantins. Parentes divulgaram cartazes com a foto do idoso em pontos estratégicos da cidade e em municípios vizinhos e oferece recompensa a quem ajudar a encontrá-lo.

A sobrinha do idoso, Daniela Lima, relatou ao G1 que o tio tem Mal de Alzheimer e deficiência visual. Ela relatou que na última quarta-feira (2), Vilmar foi à missa como de costume. Na manhã de quinta-feira, não apareceu para tomar café da manhã na casa do irmão, fato que motivou o início das buscas por ele.

O boletim de ocorrência registrado em uma delegacia da Polícia Civil, em Palmas, relata que, por volta das 21h30 do dia 2 deste mês, Vilmar foi visto por um vizinho. Ele apresentava confusão mental e perguntou coisas sem sentido. O vizinho não deu atenção e afirmou à família que não viu se Vilmar entrou ou saiu de casa.

Na manhã do dia seguinte, uma moradora da cidade disse ter visto o idoso caminhando na avenida Bernardo Sayão, perto da prefeitura da cidade. Essa foi a última notícia que os parentes tiveram de Vilmar.

“Uma hora ele esquece onde está, não consegue voltar para casa. Ele já sumiu uma vez, no final do ano passado, quando foi encontrado em uma fazenda perto de Lajeado”, disse a sobrinha.

Desde o dia do desaparecimento, parentes percorrem rodovias, fazendas, espaços públicos e fixam cartazes em pontos estratégicos de Miranorte e outras cidades. O pedido é para que as pessoas que o viram informe à família.

“Estamos sem saber o que fazer, estamos oferecendo recompensa, mas não recebemos de nada ainda, não temos nenhuma informação”, finalizou Daniela.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Segurança Pública (SSP) e aguarda uma resposta sobre o caso.

Por G1