Ex-funcionário é preso suspeito de matar casal em chácara próximo de Paraíso do TO

Crime aconteceu em novembro e chocou a população. O homem teria perdido o emprego após se insinuar sexualmente para a patroa.

Compartilhe:

Agentes da 6ª Divisão Especializada em Investigações Criminais prenderamo principal suspeito de matar um casal de aposentados em uma chácara às margens da TO-080, entre Paraíso do Tocantins e Monte Santo, no fim de novembro. O suspeito de 36 anos é um ex-funcionário do casal que havia sido demitido por se insinuar sexualmente para a patroa.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

A prisão foi feita na manhã deste sábado (19). A vítimas, Lindomar Cardoso, de 54 anos e João Miguel Pereira, de 62 anos, foram mortos de forma brutal. O crime chocou a população da cidade. O chacareiro era portador de diabetes e tinha uma deficiência física que o deixava com a mobilidade reduzida.

O delegado Hismael Athos, responsável pelas investigações. disse que o casal foi encontrado em sua residência com lesões graves no corpo. “O senhor teria sido morto a pauladas na região do crânio e a mulher, a pauladas e com perfurações cortantes na região pélvica”, explicou.

Ainda segundo o delegado, durante buscas na casa do suspeito foram localizados os objetos que haviam sido furtados da chácara, assim como um par de botinas que estava manchado com uma substância semelhante a sangue. “Passamos a monitorá-lo e percebemos que ele apresentava desvios de personalidade”, ressalta.

Suspeito detalhe o crime

Segundo a Polícia Civil, o homem deu detalhes do crime durante o depoimento e disse que foi ao local com a intenção de matar apenas João Miguel Pereira, de 62 anos. Ele disse que decidiu matar Lindomar Cardoso porque ela presenciou o assassinato do marido. A mulher tinha 54 anos. O ex-funcionário tem 36 anos e não teve o nome divulgado pela.

De acordo com os investigadores, esta seria a segunda vez que ele tentava matar João Miguel. O homem teria contaminado uma seringa de insulina e um vidro de adoçante com um líquido cor-de-rosa ainda não identificado. O homem era diabético e por isso usava os dois produtos.

Testemunhas disseram que o suspeito foi demitido porque começou a ficar relapso com suas funções e se insinuar sexualmente para a Lindomar Cardoso. Além disso, em agosto desse ano o casal teria percebido o desaparecimento de objetos da chácara.

O crime chocou a população da cidade já que o casal era muito conhecido e querido na região.