Em Palmas: Briga de condomínio vira caso de polícia e termina com denúncia por agressão policial; Vídeo

Imagens mostram parte da briga de moradoras e a ação policial. Mulher ficou com vários hematomas pelo corpo e disse que houve excesso da polícia.

Compartilhe:

O que começou como uma briga de condomínio, virou caso de polícia e terminou com uma denúncia por agressão policial na região sul de Palmas. A confusão foi registrada na sexta-feira (2) no residencial Porto Real, na Arse131 (1.304 Sul).

Imagens gravadas por moradores e câmeras de segurança registraram parte da briga e a ação policial.

Assista o vídeo:

A Polícia Militar afirmou que uma das envolvidas estava com os ânimos alterados e resistente aos comandos dos policiais, razão pela qual foi usada a força necessária para contê-la. A PM afirmou ainda que um dos policiais também se machucou e que toda ocorrência aconteceu como preconiza o manual de Procedimento Operacional Padrão (POP).

A mulher que denuncia ter sido agredida pelo policial militar. Segundo ela, a confusão começou depois que a filha de uma vizinha entrou no condomínio com uma moto e supostamente atingiu o carrinho de bebê em que transportava sua filha de seis meses.

As duas mulheres passaram o dia discutindo e ambas teriam ligado para a polícia.

Por volta das 15h30, os policiais chegaram ao local e estavam acompanhando uma das envolvidas até a saída do condomínio. A partir deste momento a câmera de segurança registrou a confusão.

É possível ver o momento em que a mulher arremessa um objeto em direção à outra que estava sendo escoltada. Depois disso, ela foi agarrada por um policial, pelas costas, e jogada no chão.

Em outro vídeo é possível ver o PM com o joelho em cima da mulher imobilizada. Outro policial aponta uma arma longa para os moradores, enquanto um terceiro vai em direção às pessoas que estavam filmando.

“Policial me pegou, jogou no chão, me judiaram [sic]. Jogaram spray de pimenta no meu rosto. Pisaram na minha cabeça, chutaram a minha cabeça, pisaram na minha mão”, afirmou a mulher.

Foto: Divulgação

Após ser imobilizada, a mulher que diz ter sido agredida, foi levada para a delegacia e autuada por crime de resistência. Ela conta que ficou com hematomas pelo corpo e também decidiu registrar o caso na delegacia da Polícia Civil, nesta segunda-feira (5).

A Secretaria de Segurança Pública disse que o fato realmente foi registrado, mas por se tratar de um caso em que envolve PM’s no exercício da profissão, o caso será direcionado para a Corregedoria da Polícia Militar.

O que diz a Polícia Militar

Referente a um vídeo de uma abordagem policial, do último dia 02 de junho, na quadra 1304 sul em Palmas, a Polícia Militar esclarece que foi acionada por uma pessoa relatando que estava acontecendo uma briga em um apartamento do condomínio Porto Real. Imediatamente uma equipe policial deslocou-se ao local.

Na ocasião encontraram duas mulheres em vias de fato. Uma das envolvidas fugiu quando os policiais tentavam separar as duas. Já a outra envolvida estava com os ânimos alterados e resistente aos comandos dos policiais, razão pela qual foi usada a força necessária para contê-la. Durante a abordagem um dos policiais sofreu uma lesão no dedo da mão e a envolvida sofreu algumas escoriações leves pelo corpo devido a resistência ativa gerada por ela. Ambos foram encaminhados a exames de corpo de delito.

Diante dos fatos, a mulher foi conduzida à Delegacia de Polícia Civil pelo crime de resistência.

A abordagem com uso da força para imobilização da mulher aconteceu conforme preconiza o manual de Procedimento Operacional Padrão (POP). No caso em específico, não se fez necessária a presença de uma policial feminina tendo em vista que não foi feita revista íntima na abordada.