Em Goiás: Pai improvisa balsa para atravessar rio e levar filha para a escola; Vídeo

O pai utilizou tambores de plástico e uma corda amarrada nas margens do rio para realizar a travessia diária em Crixás.

Compartilhe:

O operador de máquinas Júlio César tomou a iniciativa de construir uma balsa improvisada para viabilizar o trajeto de sua filha, uma estudante de 11 anos, até a cidade de Crixás, no norte de Goiás. Utilizando uma corda amarrada nas margens do rio Crixás-Açu, o pai realiza a travessia diária, levando a menina até o ponto onde ela embarca no transporte escolar. Após o término das aulas, a jornada de retorno ocorre à noite.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Assista o vídeo:

A Prefeitura de Crixás, em comunicado, esclareceu que o transporte dos estudantes da rede estadual e dos moradores é realizado por vias vicinais, não utilizando o rio Crixás-Açu. Além disso, a administração municipal afirmou não ter planos para a construção de uma ponte no local, argumentando que a opção de atravessar o rio é uma escolha feita pelos moradores como um atalho entre fazendas privadas.

Contudo, a família, destacou que o percurso até o ponto de acesso ao transporte escolar, pela via principal, é bastante extenso, totalizando 40 km para ida e mais 40 km para o retorno. Diante dessa situação, Júlio César viu na construção da balsa, utilizando tambores de plástico, uma solução viável. No trajeto de volta, a menina utiliza um colete salva-vidas durante a travessia, conforme mostra a imagem.

A prefeitura reforçou que prioriza a manutenção das estradas que dão acesso à região, garantindo o transporte escolar e facilitando o deslocamento na área rural.

Por sua vez, a Secretaria de Estado da Educação de Goiás informou que uma parceria entre o Estado e os municípios é responsável pelo transporte escolar dos estudantes da rede pública estadual. A pasta disse que está em diálogo com a prefeitura para aprimorar o atendimento à estudante.

A secretaria mencionou que realiza 10 repasses anuais aos municípios parceiros, abrangendo despesas com combustível e manutenção, incluindo Crixás.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp

*Com informações do G1