Câmera de segurança registra tensão e correria em terremoto que matou mais de mil pessoas no Marrocos

De acordo com o Serviço Geológico dos EUA, tremor atingiu magnitude 6,8 e foi sentido em Portugal, Espanha e Argélia. Não há registro de brasileiros entre as vítimas, segundo o Itamaraty.

Compartilhe:

Um terremoto de magnitude 6,8 atingiu o Marrocos na noite desta sexta-feira (8), por volta das 19h30 (no horário de Brasília). De acordo com o Ministério do Interior marroquino, foram registrados 1.037 mortos e mais de 1.200 feridos até o momento, sendo que esse número pode aumentar devido aos trabalhos de resgate em curso.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostram tensão e correria de pessoas no inicio do tremor. Assista o vídeo:

O tremor causou danos significativos em aldeias na Cordilheira do Atlas, bem como na cidade histórica de Marrakech, no oeste do Marrocos. As forças armadas e equipes de resgate foram mobilizadas para as áreas mais afetadas.

O epicentro do terremoto foi nas montanhas do Atlas, a 70 km ao sul de Marrakech. Regiões como Toubkal, o pico mais alto do norte da África, e Oukaimeden, uma estação de esqui marroquina, também foram afetadas. As províncias mais atingidas incluem Al Haouz, Ouarzazate, Marrakech, Azilal, Chichaoua e Taroudant.

Alguns edifícios desabaram, incluindo a histórica Mesquita Koutoubia em Marrakech, construída no século XII. Moradores relataram desespero nas ruas e temores de novos terremotos.

A região norte do Marrocos é propensa a terremotos devido à sua localização entre duas placas tectônicas, a africana e a euroasiática. Em 2004, um terremoto em Alhucemas, no nordeste do país, causou a morte de pelo menos 628 pessoas e deixou 926 feridas.