Araguaina registra 17 casos de Covid-19 em um dia e prefeitura volta a restringir comércio

Com o salto a cidade chega a 47 casos de coronavírus, passando Palmas que registrou 37 casos até o momento.

Compartilhe

 

Araguaína, na região norte do Tocantins, teve 17 confirmações de Covid-19 em um dia e atingiu 47 casos positivos nesta terça-feira (28). Com isso, a cidade passou Palmas que registrou 37 casos até esta segunda-feira (27). Após o salto de casos de coronavírus, a prefeitura local decidiu voltar a endurecer as medidas de distanciamento social.

 Por este motivo, o prefeito Ronaldo Dimas (Podemos) decretou o fechamento de atividades que tinham sido reabertas pela gestão no fim de março.

Com a medida, academias, feiras, motéis e estabelecimentos de embelezamento terão que ficar fechados. A venda de bebida alcoólica está completamente suspensa na cidade, inclusive em supermercados e distribuidoras.

Bares, locais de eventos, clubes recreativos, campos esportivos, salões e comércio ambulante em geral também não poderão funcionar. Também estão proibidas aglomerações dentro de casa, de pessoas que não sejam os próprios moradores dos imóveis.

O atendimento presencial continua para os serviços essenciais, como farmácias, lojas de produtos agropecuários, indústrias, cartórios, supermercados, entre outros, respeitando as medidas de higienização e distanciamento.

Na área da saúde, em clínicas e laboratórios, o atendimento deve ser com hora marcada e com permanência em espera de apenas um cliente. O espaço entre cadeiras deve ser de quatro metros. As clínicas veterinárias devem atender somente urgências e emergência.

Para os bancos será permitido somente atendimento destinado aos programas de alívio das consequências econômicas da pandemia, inclusive o de ajuda do Governo Federal. Celebrações religiosas de forma geral devem ser realizadas apenas de forma não presencial.

 

“Estamos vivendo o que era esperado, era o natural essa transmissão em cidades às margens das rodovias, a gente só espera que o crescimento entre a população seja relativamente estável e não se torne muito grande. Os parâmetros sempre foram a ocupação dos leitos, continuamos com uma folga em relação aos leitos, menos de 30% ocupados, e a maior parte de gente de outras localidades. Se atingir 150 casos serão tomadas novas medidas” informou o prefeito.