Alta do PIB de 2023 faz Brasil voltar ao grupo das 10 maiores economias do mundo

Levantamento mostra que o país ultrapassou o Canadá e a Rússia em termos de valores correntes, com um PIB de US$ 2,17 trilhões.

Compartilhe:

O Brasil recuperou sua posição entre as 10 maiores economias do mundo, após registrar um crescimento de 2,9% no Produto Interno Bruto (PIB) em 2023.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Segundo um levantamento da consultoria Austin Ratings, baseado em dados preliminares de PIB de 54 países, o Brasil ultrapassou o Canadá e a Rússia, ocupando agora a 9ª posição no ranking, com um PIB de US$ 2,17 trilhões no ano passado.

Em 2022, o país figurava como a 11ª maior economia do mundo, de acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Os Estados Unidos continuam liderando o ranking.

No ano passado, os EUA alcançaram um PIB de US$ 26,9 trilhões, seguidos pela China, com US$ 17,7 trilhões, e Alemanha, com US$ 4,4 trilhões.

Confira abaixo a lista das 10 maiores economias:

  1. Estados Unidos: US$ 26,9 trilhões
  2. China: US$ 17,7 trilhões
  3. Alemanha: US$ 4,4 trilhões
  4. Japão: US$ 4,2 trilhões
  5. Índia: US$ 3,7 trilhões
  6. Reino Unido: US$ 3,3 trilhões
  7. França: US$ 3 trilhões
  8. Itália: US$ 2,18 trilhões
  9. Brasil: US$ 2,17 trilhões
  10. Canadá: US$ 2,11 trilhões

Além do Brasil, o próximo país latino-americano na lista das maiores economias do mundo é o México, na 12ª posição, com um PIB de US$ 1,81 trilhão.

Quanto ao crescimento percentual do PIB, o Brasil ocupa a 14ª posição, com um aumento de 2,9%. O país com o maior crescimento percentual de 2022 para 2023 foi a Mongólia, com 7,1%, seguida pela Índia (6,7%) e Irã (6,4%).

Os Estados Unidos, apesar de terem o maior PIB em valores correntes, ficam apenas na 18ª posição em termos de crescimento percentual, com um aumento de 2,5% em 2023.

Aumento do PIB

O crescimento do PIB foi puxado, sobretudo, pela agropecuária, que viveu um ano recorde em 2023, com uma alta de 15,1%, e impulsionou outros setores, como as exportações e a indústria de alimentos, por exemplo.

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp