WhatsApp começa a liberar ‘Canais’, onde se pode mandar conteúdo para número ilimitado de integrantes; veja como funciona

Colômbia e Singapura são os primeiros países com acesso à ferramenta, que torna o app ainda mais parecido com o rival Telegram.

Compartilhe:

A Meta apresentou nesta quinta-feira (8) os Canais do WhatsApp, uma ferramenta para os administradores enviarem textos, fotos, vídeos, figurinhas e enquetes para um número ilimitado de integrantes. Colômbia e Singapura serão os primeiros países a ter o recurso; não há data definida para lançamento no Brasil.

A ideia é tornar o aplicativo um “produto de mensagens de transmissão privada”, diz a dona do WhatsApp. Com esse recurso, o app se aproxima ainda mais do rival, o Telegram. “Vamos permitir que qualquer pessoa crie um canal”, diz a empresa, em seu blog.

Diferenças para grupos

Os grupos do WhatsApp continuarão diferentes dos Canais porque, neles, existem limitações de integrantes e de encaminhamento de mensagens, por exemplo.

E, ao contrário das mensagens trocadas entre conta individuais e grupos, os canais não serão protegidos com a criptografia de ponta a ponta por padrão, exceto em casos específicos.

“Entendemos que há alguns casos em que canais com essa proteção para um público limitado podem fazer sentido, como uma organização de saúde ou sem fins lucrativos, e estamos considerando isso como uma opção futura também”, diz o WhatsApp.

Como funciona

As mensagens dos Canais aparecerão em uma nova aba chamada Atualizações, separada das conversas com familiares, amigos e comunidades. Nela, o usuário vai encontrar o Status e os canais que escolher seguir.

O histórico do canais será armazenado nos servidores por até 30 dias e a Meta promete incluir formas de fazer as atualizações desaparecerem ainda mais rapidamente dos dispositivos dos seguidores.

Meta apresenta ferramenta de transmissão 'Canais' no WhatsApp — Foto: Reprodução
Meta apresenta ferramenta de transmissão ‘Canais’ no WhatsApp — Foto: Reprodução

O WhatsApp vai criar um diretório pesquisável no qual o usuário vai poder buscar os canais que pretende seguir. Também é possível acessar um canal por meio de links de convite enviados em conversas e e-mails ou publicados online.

Os administradores não poderão adicionar seguidores diretamente ao canal. É o seguidor que escolhe se quer ou não seguir.

Por outro lado, os “adms” poderão decidir quem pode seguir o canal e se querem que ele seja visível no diretório ou não. E ainda terão a opção de bloquear capturas de tela e encaminhamentos.

Fotos de perfil e informações de contato do administrador do canal não serão visíveis para os seguidores.

Da mesma forma, os seguidores não terão seus números de telefone revelados. Ou seja, seus contatos não saberão quais canais você segue.

O lançamento conta com canais da Organização Mundial da Saúde (OMS) e dos times Barcelona e Manchester City.

O WhatsApp publicou um vídeo no YouTube sobre a nova funcionalidade. Veja abaixo:

Por G1