Tocantins recebeu 44 mil vacinas contra Covid-19 suficiente para imunizar apenas 22 mil pessoas

Plano de vacinação prevê que na primeira fase sejam vacinados 450 mil moradores. Só que nesta 1ª remessa deverão ser vacinados apenas os profissionais da linha de frente no combate a doença.

Compartilhe

O Tocantins recebeu 44 mil doses da vacina CoronaVac produzida pela Sinovac da China e distribuída pelo Instituto Butantan. No entanto, o imunizante será suficiente para apenas 22 mil pessoas. O número representa 1,38% da população do estado, que é de 1,5 milhão de habitantes, segundo a última estimativa do IBGE.

A vacinação contra Covid-19 no no estado começou oficialmente nesta segunda-feira (18) em uma cerimônia no Laboratório Central do Estado (Lacen), em Palmas. Devido ao número reduzido de doses, serão poucas pessoas dos grupos prioritários a serem vacinadas neste primeiro momento.

O plano de vacinação prevê que na primeira fase, em que estão todas as pessoas consideradas prioritárias, sejam vacinados 450 mil moradores. Só que nesta primeira remessa de doses deverão ser vacinados apenas os profissionais da linha de frente no combate à Covid-19, indígenas aldeados e idosos com mais de 60 anos que vivem em asilos.

Cada município vai definir as regras dentro desses segmentos, considerando a quantidade de doses recebidas e a população prioritária.

Serão vacinados nesta primeira etapa:

  • População indígena em terras indígenas demarcadas: 7.802 (incluiu indígenas acima de 18 anos atendidos pelo subsistema de saúde indígena).
  • Profissionais de saúde: 37.889.
  • Pessoas de 60 a 74 anos: 126.493 + 424 (Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas).
  • Trabalhadores educacionais: 25.307.
  • Forças de Segurança e Salvamento: 4.791.
  • Funcionário do Sistema de Privação de Liberdade: 289.
  • Pessoas acima dos 18 anos que tenham as seguintes comorbidades: Diabetes mellitus; hipertensão arterial sistêmica grave (de difícil controle e/ou com lesão de órgão alvo); doença pulmonar obstrutiva crônica; doença renal; doenças cardiovasculares e cerebrovasculares; indivíduos transplantados de órgão sólido; anemia falciforme; câncer; obesidade grave – 116.767 mil pessoas.

Em Palmas, devem ser vacinados nesta 1ª etapa:

  • Trabalhadores em saúde – 10.071
  • Idosos acima de 75 anos – 3.622
  • Pessoas com mais de 60 que vivem em asilos – 150
  • Indígenas: 55

A previsão inicial do município é vacinar 14 mil pessoas na primeira fase. O quantitativo de doses recebido pela capital ainda não foi informado, mas o município atualizou o plano de vacinação nesta segunda-feira (18) com a previsão de vacinar apenas 34% dos profissionais de saúde e idosos que vivem em asilos.

Com essa primeira remessa serão priorizados os trabalhadores de saúde que estão na linha de frente de combate à pandemia em Palmas.

Asilos que deve ser atendidos pela vacinação em Palmas são:

  • Instituição Rhema – Vinculado ao centro de saúde do Taquari.
  • Cantinho do Amor Vovó e Vovô – Vinculado ao centro de saúde da 108 Sul.
  • Lar Doce Lar – Vinculado ao centro de saúde da 210 Sul.
  • Lar da Feliz Idade – Vinculado ao centro de saúde da 210 Sul.
Vacinadas nos municípios

O governo do estado ainda não informou quantas doses cada um dos 139 municípios vai receber. O carregamento da CoronaVac começará a ser distribuído ainda nesta terça-feira (19), após conferência dos lotes.

Cada pessoa que for vacinada pela CoronaVac vai receber duas doses, com intervalo de duas ou três semanas.

Vacinação para os outros grupos

Não há previsão para o início da vacinação de outros grupos. O governo do estado informou que a vacinação será feita conforme as doses forem distribuídas pelo Ministério da Saúde. Os demais grupos vão entrar a medida que os primeiros forem imunizados.

O secretário de saúde Edgar Tolini, disse que a expectativa é que novos lotes de vacina sejam enviados em um curto espaço de tempo para encerrar os primeiros grupos e atender novas prioridades.

Vacinação de idosos

Na capital, a previsão é que somente os idosos que estão em abrigos e asilos serão vacinados com as doses disponíveis nesta primeira remessa. Os demais dependem da chegada de outros lotes da vacina. Inicialmente a previsão é de 150 pessoas imunizadas.

Idosos a partir de 60 anos devem ser vacinados na segunda etapa, que ainda não tem uma previsão de início e vai depender da chegada de doses.

Sobre as vacinas

No Brasil, duas vacinas foram aprovadas para uso emergencial até o momento. Uma delas é a CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan que chegou nesta segunda (18) em Palmas.

A vacina de Oxford, desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), ainda não está disponível.

Seringas e agulhas

A Secretaria de Estado da Saúde disse que tem no estoque regulador estadual 466 mil seringas com agulhas para dar início à vacinação da Covid-19. Afirmou também que comprou outras 117.200 unidades, aguardando somente a entrega; e está com processo de compra licitado e concluído mais 1.665.957.

Pontos de vacinação

Cada município ficará responsável por seu plano de vacinação, incluindo a logística dos pontos de vacinação. Na capital, são 32 salas de vacinação sendo quatro Unidades de Saúde da Família com câmaras refrigeradas e as demais com geladeiras comuns.

Há também salas de vacina nas Unidades de Pronto Atendimento Norte e Sul, no Hospital Geral de Palmas e no Hospital e Maternidade Dona Regina.

A Prefeitura de Palmas informou ainda que poderá instalar pontos de vacinação em locais como o Parque da Pessoa Idosa e na Feira da 304 Sul, na modalidade drive thru.

Segundo o plano de vacinação da capital, falta de cadastro prévio no Módulo de Campanha Covid-19 não será motivo para que o estabelecimento de saúde deixe de vacinar o cidadão.

Neste caso, o cidadão deverá apresentar comprovante de que pertence a um dos grupos prioritários para vacinação correspondentes a cada etapa prevista no Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19.

Para fazer o controle, o Ministério da Saúde diz que também é importante informar o número do CPF ou apresentar o Cartão Nacional de Saúde (CNS) – o Cartão do SUS.

Em nota, o Ministério da Saúde disse que não realiza agendamento para aplicação de nenhum tipo de vacina, e nem envia códigos para celular dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).