Suspeito de matar sobrinho com tiro de espingarda é preso no norte do Tocantins

Corpo da vítima foi encontrado na TO-201. Inicialmente o tio contou que o tiro havia sido acidental, mas parentes disseram que os dois tinham desavenças.
Compartilhe

Corpo da vítima foi encontrado na TO-201. Inicialmente o tio contou que o tiro havia sido acidental, mas parentes disseram que os dois tinham desavenças.

Ledimilson Severino Albuquerque, de 33 anos, foi preso por agentes da Delegacia de Augustinópolis, nesta quinta-feira (27). Conforme a Polícia Civil, ele é suspeito de assassinar o sobrinho, Welber Albuquerque, de 21 anos. O crime aconteceu no domingo (23), na TO-201, na região da Ladeira que ficam entre os municípios de Carrasco Bonito e Augustinópolis.

Conforme os registros da Polícia Militar, houve um chamado no início da manhã de que havia um jovem caído na pista com perfuração na parte inferior do queixo. Ao chegarem no local, os policiais encontraram o jovem já sem vida.

De acordo com o delegado Thyago Bustorf, após o crime, o suspeito teria se fugido do local, se desfazendo da suposta arma utilizada, não prestando socorro à vítima. Posteriormente, o homem deu duas versões sobre o caso.

“Primeiro ele afirmou desconhecer o ocorrido. Posteriormente, confirmou o disparo, porém ele alega ter sido acidental e provocado pela vítima”, afirmou o delegado.

Na primeira versão, o tio da vítima informou apenas que deu uma carona para o jovem, por volta das 22h de sábado, e que o deixou em Carrasco Bonito. No entanto, o horário diverge com o que tinha sido informado por testemunhas e os policiais insistiram.

Depois Ledimilson falou que foi em casa com o sobrinho para buscar uma espingarda calibre 28, que segundo ele seria usada para intimidar jovens com quem a vítima teve uma discussão. O suspeito disse que durante a viagem de volta para casa, eles pararam a motocicleta para fazer xixi e, neste momento, a arma teria disparado acidentalmente.

O tio confessou que saiu do local sem prestar socorro ao sobrinho, foi até um córrego onde jogou a espingarda e voltou para casa.

Mas um parente da vítima disse não acreditar na versão do homem. Ele informou que o tio e sobrinho tinham desavenças.

Ainda segundo Thyago Bustorf, após abertura de inquérito policial, foi representado pela prisão temporária pelo prazo de 30 dias para tio da vítima que, segundo testemunhas, estava em companhia do rapaz na noite do homicídio. “Mesmo que as declarações dele afirmem o contrário, todos os indícios da autoria apontam para ele”, disse.

Welber Albuquerque – Foto: Divulgação

Investigações

Conforme o delegado, dentro do prazo hábil da prisão temporária, será requisitada a reprodução simulada dos fatos, para que sejam observados elementos que auxiliem na elucidação do crime.

“A perícia vai averiguar a posição do tiro, como foi efetuado o disparo, o percurso do projétil dentro do corpo da vítima afim de eliminar ou confirmar as hipóteses de homicídio ou disparo acidental provocado pela própria vítima”, ressaltou.

Thyago Bustorff disse também que durante a instauração do inquérito, familiares da vítima confirmaram que apesar de supostamente não ter ocorrido nenhuma desavença entre autor e vítima na data do crime, eles já haviam se desentendido no passado.

“Testemunhas também falaram que o autor tinha um comportamento agressivo e teriam escutado, na data do crime, que naquela noite ele iria matar alguém”, afirmou.

Após os procedimentos habituais, Ledimilson foi encaminhado para a Cadeia Pública de Augustinópolis onde ficará à disposição da Justiça.