Suspeito de matar ex-namorada nos EUA é foragido por homicídio no sul Tocantins

Danilo Sousa Cavalcante foi preso pela polícia estadunidense no estado da Virgínia. Ele foi reconhecido por parentes de vítima morta em Figueirópolis, em 2017 após aparecer na televisão.

Compartilhe:

Danilo Sousa Cavalcante principal suspeito de matar a brasileira Débora Evangelista Brandão nos Estados Unidos. Após a repercussão do caso, ele foi reconhecido por parentes de uma vítima morta no Tocantins em 2017. Acontece que o homem, que é foragido da Justiça no Brasil, é réu em um processo criminal por homicídio cometido em Figueirópolis, na região sul do estado.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

O rapaz foi preso pela polícia estadunidense no estado da Virgínia uma hora e meia após o assassinato da ex-namorada. Débora, de 34 anos, que era de Balsa (MA), morava nos Estados Unidos há cerca de cinco anos. Ela foi morta a facadas na frente dos dois filhos.

O Ministério Público do Tocantins disse que já repassou informações à Polícia Federal sobre o assassinato praticado no Tocantins.

Débora Evangelista foi morta na frente dos filhos nos EUA – Foto: Reprodução
Entenda

No Tocantins, Danilo Sousa é o principal suspeito do homicídio que vitimou Valter Júnior Moreira dos Reis. A vitima foi morta a tiros em uma praça no centro de Figueirópolis, na madrugada de 5 de novembro de 2017.

Conforme as investigações, os dois estavam em uma lanchonete e Danilo teria feito seis disparos contra a vítima à queima-roupa. O suspeito ainda teria pegado o celular de Valter Júnior antes de fugir do local em um carro.

O processo sobre o crime corre na 1ª Escrivania Criminal de Figueirópolis. Danilo responde por homicídio duplamente qualificado, por motivo torpe e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, mas a ação penal estava suspensa porque o réu estava foragido.

Segundo o MP, o referido processo estava suspenso porque o acusado fugiu após o crime.

Depois do delito, a prisão preventiva de Danilo foi decretada, mas não havia qualquer informação de seu paradeiro até o homicídio contra a jovem ser praticado nos EUA.