Subnotificação: Prefeitura de Palmas teria deixado de testar três mil pessoas com sintomas de Covid-19

Mesmo quem teve contato com casos confirmados da doença não teriam conseguido acesso aos exames. Prefeitura informou que que novos kits devem aumentar o índice de testagem.

Compartilhe

 

Com a abertura gradual do comércio mantida para iniciar nesta segunda-feira (8), a Prefeitura de Palmas admitiu neste sábado (6) que deixou de testar cerca de três mil moradores da capital que apresentaram sintomas do novo coronavírus no começo da pandemia.Conforme a diretora de vigilância em saúde de Palmas Marta Malheiros, no primeiro momento não havia testes suficientes para todos e que o Ministério da Saúde não recomendava a testagem em massa.

“Quanto começou o inicio dos casos a gente não tinha testes para todo mundo. A indicação dos testes era apenas para idosos, com comorbidades. Então a gente tem em torno de duas a três mil pessoas que não foram testadas no início e não faz sentido agora eu testar depois de um mês dos sintomas. Vai ser só um dado estatístico e não é para isso que a gente faz os testes”, informou ela.

Moradores contam que mesmo quem teve contato com casos confirmados do novo coronavírus ter tido dificuldades para conseguir acesso a testes. O jornalista Fábio Coelho foi um dos que procurou a rede municipal de saúde, após o companheiro ser diagnosticado com a doença, mas não conseguiu fazer o exame.

“A partir do momento em que ele testou positivo ai eu questionei: eu como companheiro, convivendo diretamente com ele, eu não tenho que fazer teste? A resposta foi: você só vai fazer o teste se você apresentar algum tipo de sintoma”, conta ele

A Prefeitura da capital disse que de 15 de abril até 4 de junho o laboratório municipal realizou 1.055 testes rápidos com 230 confirmações. O município afirmou que para tentar aumentar o nível de testagem, foram comprados 10 mil reagentes em testes que começaram na semana passada.

Ainda segundo a prefeitura, também foi autorizado o credenciamento de sete laboratórios particulares que vão reforçar a testagem na cidade. Três unidades de saúde do município também foram capacitadas como unidades sentinela. Para Malheiros, isso deve ajudar a reduzir a subnotificação.

O infectologista Flávio Milagres, disse ao G1 que o mais indicado é que seja feita a testagem em massa.

“Todas as pessoas sendo submetidas a testagens. Dependendo da fase pode ser feita através da procura do vírus, a gente chama isso de biologia molecular e, após em média sete dias, os textos sorológicos, para ver se a pessoa já teve o contato e criou o anticorpo”.

Atualmente, segundo o boletim epidemiológico municipal, Palmas tem 756 casos confirmados de coronavírus e oito pessoas morreram pela doença na cidade.

Também neste sábado, a Prefeitura de Palmas decidiu cancelar a reabertura de parques e praças da capital que estava prevista para a próxima segunda-feira. Os locais seriam liberados no mesmo dia do retorno do comércio, mesmo com a curva de novos casos de coronavírus na cidade continuar crescendo.

*Com informações do G1