Servente de pedreiro tira a própria vida após matar a companheira e o filho dela de 10 anos a facadas

Crime aconteceu em Araguapaz (GO). Corpos foram encontrados pelo patrão de Luciano Lino, que deu falta dele no serviço e foi até a casa dele procurá-lo.

Compartilhe:

Um servente de pedreiro, de 42 anos, é suspeito de matar a companheira e o filho dela a facadas em Araguapaz, no interior de Goiás. Depois dos crimes ocorridos na madrugada de sábado (9), Luciano Lino de Sousa teria tirado a própria vida ao provocar um acidente de trânsito.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Segundo o delegado Ricardo Ramos Nogueira, responsável pelo caso, ainda não se sabe a motivação do duplo homicídio. A informação é de que após o crime, o servente de pedreiro teria entrado de forma proposital na frente de um caminhão em uma rodovia.

Após não chegar no horário do trabalho, o chefe do suspeito soube que ele havia morrido em um acidente na GO-164. Em seguida, o homem foi até a casa da companheira de Luciano para avisá-la sobre o acidente, mas ninguém atendeu.

Após estranhar a situação, o chefe pulou o muro e encontrou os corpos de Mônica Cristina da Silva Batista e Pedro Davi da Silva, de 10 anos, dentro de um quarto da residência.

O homem acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas mãe e filho já estavam sem sinais vitais.

Os vizinhos de Cristina relataram que o casal estava junto há três meses. Eles também disseram que não terem escutado nenhum pedido de socorro. Segundo o chefe de obras, Luciano era usuário de drogas e tinha históricos de internação para tratamento.

Segundo a Polícia Civil, foram encontradas diversas latas de cerveja vazias e dois celulares no local do crime. O caso é investigado.

ALERTA AMARELO

Você sabia que as ligações para o Centro de Valorização da Vida (CVV), que auxilia na prevenção de suicídio, são gratuitas em todo o território nacional?

Se estiver passando por um momento difícil em sua vida, não titubeie. Ligue!

>> Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp.