Projeto “Mestra Didi: entre linhas e sabores” resgata cultura tradicional de Monte do Carmo

Contemplado pelo Prêmio Aldir Blanc, o objetivo do projeto é a preservação da memória cultural e valorização dos festejos populares de uma das mais tradicionais cidades do Tocantins.

Compartilhe:

Com o intuito de preservação da memória cultural e a valorização dos festejos populares de Monte do Carmo, é desenvolvido o projeto “Projeto Mestra Didi: Entre Linhas e Sabores”. A iniciativa é coordenada por Rosa Amelia Amaral, filha da Mestra Didi, figura histórica da região.

Segundo Rosa Amélia, a ideia surgiu pra homenagear Mestra Didi, que era muito envolvida nas festas da cidade que é uma das mais tradicionais do Tocantins, mais especialmente nas confecções dos bolos. “Quando trabalho com a cultura Tradicional eu vejo meus antepassados feliz trabalhando e nos ensinando sobre a nossa história. De onde viemos. Eu acho fantástico”, ressalta.

Aproximadamente 30 pessoas estão envolvidas no projeto. São homens e mulheres da comunidade, que, de alguma forma, contribuem com troca de saberes. A proposta é apoiar grupos da cultura tradicional de cidade, por meio da confecção e doação de figurinos, como forma de preservar as danças e ritmos históricos da cultura tocantinense, como a Folia de Reis, Congada e Sússia.

Recentemente foi realizada uma exposição dos materiais adquiridos pelo projeto, como forma de prestação de contas. Agora os profissionais estão trabalhando na confecção de figurinos que serão doados aos grupos de cultura tradicional da cidade. No mês de junho será iniciada a etapa de produção dos bolos e licores que serão comercializados. A renda será revertida para a comunidade.

Foto: Divulgação

Rosa Amelia conta que Monte do Carmo tem um grande potencial na área de cultural, porém falta ser explorado pela comunidade no sentido de geração renda. “O projeto veio com esse objetivo de incentivar a comunidade a trabalhar no coletivo e, a partir desse movimento, as pessoas conseguirem divulgar, confeccionar e ganharem seu sustento”
Outro ponto previsto está relacionado a inserção dos mais jovens moradores na cadeia produtiva local, oferecendo formação e incentivo ao empreendedorismo, além de incentivá-los ao fortalecimento de suas origens e tradições.
Toda a execução conta com 20 empregos diretos e indiretos, além de contribuir com o mercado local e o fortalecimento da cultura tradicional tocantinense.

Foto: Divulgação

O projeto também conta com a produção executiva de Ândrea Bangoim, criação de arte de Taiana Bangoim e a fotografia de Gustavo Ramalho.

A iniciativa foi contemplada pelo Prêmio Aldir Blanc da Agência de Desenvolvimento Turismo, Cultura e Economia Criativa do Estado do Tocantins (ADETUC) e conta com o apoio do Governo Federal, por meio da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo com recursos do Fundo Nacional de Cultura.

*Com informações de João Lino