Policial de folga é acusado agredir mulher que trabalhava de segurança ao ser impedido de entrar em camarote de evento em Paraíso do TO

Vítima precisou ser internada após levar chute no abdômen. Confusão aconteceu no Parque de Exposições Agropecuárias da cidade.

Compartilhe:

Na madrugada desta sexta-feira (9), uma confusão envolvendo um policial civil de folga e uma mulher que trabalhava como segurança particular foi registrada na madrugada no Parque de Exposições Agropecuárias de Paraíso do Tocantins. A vítima contou que foi agarrada pelo pescoço e agredida com um chute no abdômen por impedir a entrada do agente em um camarote.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Questionada, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) afirmou que o caso foi registrado e será investigado. Afirmou ainda que não concorda com qualquer tipo de conduta criminosa ou que de qualquer maneira ofenda à ética policial.

A ocorrência foi registrada por volta das 3h30 da madrugada durante a programação da ExpoBrasil 2023. A Polícia Militar informou que foi chamada pela equipe de segurança privada do evento até a portaria do camarote com a denúncia de que a segurança tinha sido agredida e precisou ser levada para o hospital.

No camarote, o policial civil de 44 anos alegou que estava autorizado a entrar no camarote com sua esposa, mas teria sido impedido pela segurança. Ele disse que insistiu na entrada, foi agredido com um soco e revidou a agressão.

Depois, os policiais foram até o Hospital Regional de Paraíso. A segurança, de 27 anos, afirmou que estava trabalhando no camarote e impediu a passagem de uma mulher que estava querendo entrar, mas estava sem a pulseira de autorização.

Essa mulher então ligou para alguém e momentos depois chegou o homem, que até então não sabia se tratar de policial civil. Ele teria tentado forçar a entrada e a segurança novamente impediu a passagem.

Nesse momento, segundo o relato, o policial teria agarrado e chutado a segurança.

A Polícia Militar informou que voltou até o Parque de Exposições, mas o policial tinha seguido sozinho para a delegacia para prestar esclarecimentos. A vítima não foi levada porque seguia internada. O caso foi apresentado ao delegado e foi feito o registro de um boletim de ocorrência.

O que diz a Secretaria de Segurança Pública

A Secretaria da Segurança Pública do Tocantins informa que o caso foi registrado na 9ª Central de Atendimento da Polícia Civil, em Paraíso do Tocantins. O suposto agressor não foi preso, pois a situação já não configurava mais flagrante delito. Entretanto, um procedimento policial será instaurado, bem como um procedimento administrativo no âmbito da Corregedoria-Geral da Segurança Pública, para averiguar todas as circunstâncias do fato.

Por fim, a Secretaria da Segurança Pública do Tocantins reitera que não coaduna com qualquer tipo de conduta criminosa ou que de qualquer maneira ofenda à ética policial, postura essa que deve ser partilhada por todos os seus servidores.