Polícia investiga contratos entre prefeitura do interior do TO e empresa de homem com passagem por tráfico

Irregularidades investigadas teriam ocorrido durante os anos de 2018 e 2019 em Pium.

Compartilhe:

Um inquérito foi aberto pela Polícia Civil para apurar irregularidades em licitações da prefeitura de Pium, na região central do estado. Segundo a investigação, uma empresa contratada para reforma em prédios públicos e iluminação pública tinha várias irregularidades e ainda estaria registrada no nome de um homem preso por tráfico de drogas.

A suspeita é de que o grupo tenha causado prejuízos que podem chegar a R$ 1 milhão. Os fatos teriam ocorrido durante os anos de 2018 e 2019, no mandato anterior do prefeito Valdemir Barros (PSDB).

A Polícia Civil informou que a empresa investigada tinha sido constituída há pouco tempo, o suposto proprietário não tinha qualquer histórico empresarial e não possuía patrimônio, além de ter passagem por tráfico de drogas.

O caso está sendo investigado pela 57ª Delegacia de Polícia de Pium. Os agentes ainda apuram se a empresa tinha alguma sede física, bem como o paradeiro do proprietário, que sumiu algum tempo depois das contratações. Também há suspeita quanto à relação da empresa investigada com outra firma que também disputou a licitação.

“Um fato que também chama atenção, é que a empresa em questão seria ligada ao setor de transporte rodoviário e não há histórico de que já tenha realizado os serviços supostamente prestados ao município de Pium”, explicou o delegado José Lucas Melo.

O delegado informou que o próximo passo da investigação é interrogar os servidores que atuaram nos procedimentos licitatórios. A polícia não deu uma estimativa do valor do prejuízo aos cofres públicos.

*Por G1