PF deve usar carro de luxo de R$ 800 mil até fim de investigação contra suspeitos de pirâmide financeira

Segundo decisão judicial, o BMW modelo i8 só poderá ser usada em exposições e ações pedagógicas para conscientizar a população sobre esquemas ilícitos.

Compartilhe:

Um veículo de luxo, avaliado em aproximadamente R$ 800 mil, deve ser utilizado pela Superintendência da Polícia Federal no Tocantins por período indefinido. A BMW de modelo i8, que chamou a atenção em Palmas, foi confiscada em uma operação contra ‘traders’, e conforme determinação da Justiça Federal, permanecerá sob posse das autoridades federais até o desfecho das investigações.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

‘Trades’, são pessoas que realiza transações de compra e de venda, especificamente na Bolsa de Valores.

A determinação foi proferida pelo juiz federal substituto Pedro Alves Dimas Júnior, da 4ª Vara Criminal, em resposta a uma solicitação da própria Polícia Federal para utilizar uma das duas BMW apreendidas em maio de 2022, durante a operação Midas do Cerrado.

Na ocasião, a investigação revelou que dois indivíduos suspeitos de se passarem por investidores utilizavam bens de luxo, como carros, para atrair potenciais vítimas, movimentando cerca de R$ 10 milhões em um suposto esquema de pirâmide financeira.

Polícia Federal usa carro de luxo avaliado em R$ 800 mil como viatura
Foto: Divulgação/PF

Na decisão, a Polícia Federal pleiteou o uso temporário dos veículos em eventos educativos e exposições, visando conscientizar a população sobre atividades ilícitas. O Ministério Público Federal também manifestou apoio à solicitação.

Ao longo do processo, tanto os carros de luxo quanto uma caminhonete foram devolvidos aos proprietários investigados, designados como fiéis depositários até a conclusão do processo judicial. No entanto, conforme constatado, eles voltaram a utilizar os veículos para atrair mais vítimas para o esquema fraudulento, configurando crimes financeiros. Por essa razão, o juiz revogou as ordens de entrega aos investigados.

A caminhonete, após ser devolvida a um dos investigados, foi novamente apreendida mediante mandado de busca movido por uma instituição financeira.

Em sua decisão final, o juiz autorizou o uso temporário da BMW pela Superintendência da PF no Tocantins, enquanto não houver destino definitivo para o veículo ou sua devolução. Durante esse período, a Polícia Federal deverá fornecer à Justiça Federal informações sobre o estado de conservação do veículo.

Participe da comunidade do #SouMaisNoticias no WhatsApp