No Tocantins: Procon encontra variação de até 149,53% em açougues de Palmas

A pesquisa foi realizada nos dias 6 e 7 de junho. Os fiscais visitaram 10 açougues da capital.

Compartilhe:

Uma pesquisa do Procon realizada nos açougues de Palmas encontrou uma variação 149,53%. A vistoria foi realizada nos dias 6 e 7 de junho, em 10 estabelecimentos da capital. Entre os itens pesquisados estão, carnes bovinas, suínas, frango, linguiças e peixes.

A pesquisa pode ser conferida aqui

“A pesquisa tem como objetivo permitir que o consumidor possa saber com antecedência os preços praticados pelos estabelecimentos e que ele possa se organizar para realizar suas compras”, explica Rafael Pereira Parente, superintendente do Procon Tocantins.

Entre os itens pesquisados, o que apresentou maior variação foi a linguiça suína, vendida entre R$ 15,99 e R$39,90, o que significa uma variação de 149,53% dependendo do local onde o consumidor realizar as compra.

A segunda maior diferença de preço foi encontrada no frango inteiro congelado, que está sendo comercializado entre R$ 6,49 e R$ 14,99, uma variação de 130,97%. A terceira maior foi de 125,06%, encontrada na linguiça calabresa, comercializada entre R$ 19,99 a R$ 44,99.

Cortes bovinos
Nos cortes bovinas, o quilo do filé foi o item que apresentou a maior variação, entre os itens pesquisados.  O menor preço encontrado foi R$ 44,99 e o maior R$ 69.99, o que significa uma variação de 55,57%,

Cortes Suínos
Já entre os cortes de suíno, o item com maior variação foi o pernil dianteiro com osso, vendido entre R$ 18.99 e R$ 24,99. A variação encontrada foi de 31,60%.

Pescados
Entre os pescados, o quilo do tambaqui apresentou a maior variação, de 35,31%, vendido entre R$ 16,99 e R$ 22,99.  

É preciso estar atento!
O gerente de fiscalização Magno Silva, alerta que o consumidor deve entender que não existe tabelamento nos preços dos produtos que estabeleça que os comerciantes mantenham preços iguais.

“Inclusive, pode acontecer de haver diferença no valor entre duas empresas de uma mesma rede. A variação de preços pode ocorrer também em detrimento de promoções. Por isso é importante fazer uma pesquisa para amenizar a conta”, aponta Silva.

Dica!
No momento da compra da carne, o consumidor tem o direito de decidir a quantidade de carne que pretende levar para casa, que pode ser desde apenas meio quilo ou a peça inteira, por exemplo. E ao manusear a carne, o atendente deve pesar apenas a quantidade solicitada. Mesmo que o peso ultrapasse a quantidade desejada, o consumidor não pode ser obrigado a levar mais do que pediu. A regra só não vale para as peças previamente embaladas e vendidas a vácuo ou que são divididas em bandejas, quando não há obrigação de fracionamento.

O estabelecimento comercial que vende carne deve sempre estar limpo e sem moscas. As carnes devem estar acondicionadas em câmara fria e não podem ficar expostas em cima do balcão à temperatura ambiente.

No Tocantins os açougues, supermercados e comerciantes de carne em geral são obrigados a expor, em local visível, de forma clara e legível aos consumidores a razão social, nome de fantasia, telefone, endereço e número da inspeção do frigorífico fornecedor dos produtos expostos à venda, bem como o prazo de validade do produto.

Denuncie
Qualquer irregularidade encontrada o consumidor pode fazer a denúncia por meio do Disque Denúncia 151 ou pelo Whats Denúncia (63) 99216-6840.

O consumidor deve passar todas as informações do estabelecimento, como nome, endereço e localização. Assim como enviar fotos, vídeos, cupom e nota fiscal ou qualquer documento para comprovação da denúncia e auxiliar o trabalho da fiscalização.

A exigência da nota fiscal ou cupom fiscal é fundamental para formalizar possíveis reclamações ou denúncias.