Interdição parcial da Ponte de Porto Nacional é suspensa devido as chuvas

Medida é para permitir a instalação das vigas da nova ponte que está sendo construída no local. Interdição será retomada na segunda-feira (4).

Compartilhe:

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Agência de Transportes, Obras e Infraestrutura (Ageto) informou que a interdição parcial da ponte sobre o rio Tocantins, em Porto Nacional, para permitir a instalação das vigas da nova ponte que está sendo construída no local, foi suspensa devido as condições climáticas.

Segundo a Ageto, o tráfego que estava previsto para funcionar em meia pista nos dias 01, 02 e 03 de setembro foi suspenso, devido os trabalhos não serem possíveis de serem executados com chuva A agência informou que a interdição da pista estão programados para serem retomados na segunda-feira (4), conforme as condições climáticas.

A Ageto explicou que a empresa responsável pela construção da nova ponte precisará realizar um tipo de corte na pista para executar o acesso necessário para o lançamento das vigas da nova estrutura.

A obra

Sobre a nova ponte em construção, o projeto foi contratado pelo governo do estado em maio de 2015, mas a construção efetiva teve início apenas em setembro de 2019. Inicialmente, o prazo de entrega estava previsto para maio do ano em curso, porém, foi prorrogado para julho de 2024.

Foto: Ademar Ribeiro/Ageto

A obra está atualmente na sua segunda etapa, na qual as vigas estão sendo instaladas sobre os vãos da estrutura, processo conhecido como lançamento. A faixa por onde os veículos irão trafegar será construída sobre essa estrutura.

Inicialmente, o contrato estimava um custo de R$ 101,3 milhões para a nova ponte, mas esse valor já ultrapassou R$ 150 milhões. A extensão total da ponte será de 1.488 metros, dos quais 1.088 metros serão compostos por estrutura de concreto, e os outros 400 metros serão aterro.

Até que a nova ponte seja concluída, veículos leves e pedestres ainda poderão utilizar a antiga estrutura, que foi construída nos anos 1970. Veículos pesados, no entanto, terão que atravessar o rio por meio de balsas, pois a ponte não é considerada segura para esse tipo de tráfego.