Inflação dos bens e serviços mais consumidos no Dia das Crianças sofre alta de 13,7% nos últimos 12 meses

Brinquedos tiveram alta de 20%. Levantamento feito pela XP também inclui vestuário, livro não didático e bicicleta, além da variação do valor dos serviços relacionados à viagem.

Compartilhe:

A inflação dos bens e serviços mais consumidos no Dia das Crianças, comemorado nesta quarta-feira (12), sofreu uma alta de 13,7%, em média, nos últimos 12 meses. Os dados são de um levantamento feito pela XP que aponta ainda que no ano passado a variação média foi de 10,2%. O levantamento inclui, além de brinquedos tradicionais, itens como eventos diversos, vestuário, livro não didático, bicicleta, videogame e computador pessoal.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

A pesquisa também considera a variação no valor dos serviços relacionados à viagem, como passagem aérea, combustível, hospedagem, alimentação e pacotes turísticos. Isso porque o Dia das Crianças coincide com o feriado católico e muitas famílias aproveitam para passear fora de suas cidades.

Nesse caso, quem optar por viajar este ano pode encarar preços bem altos, já que nos últimos 12 meses o preço das passagens aéreas subiu 74,9%. Quanto à hospedagem e pacotes turísticos, as altas acumulam alta de 22% e 23%, respectivamente. 

Para economizar, a opção pode ser viajar de carro, aproveitando os preços dos combustíveis que caíram recentemente. No último ano, a queda foi de 7%, após subir 41% no mesmo período do ano passado.   

Agora, se o plano for levar as crianças para comer fora no dia do ano mais aguardado pelos pequenos, seja em um restaurante para almoçar ou para comer apenas uma sobremesa, como um sorvete, por exemplo, os adultos terão que desembolsar de 8,4% a 16,8%, mais que no feriado do ano passado.

A economista da XP, Tatiana Nogueira, responsável pela pesquisa explica que, “além dos custos terem subido no período, especialmente alimentos, a reabertura da economia depois da pandemia permitiu que os estabelecimentos reajustassem seus preços à luz desses custos mais elevados”.

Ainda segundo a economista, em relação aos presentes, a cesta dos sete produtos mais tradicionais, entre brinquedos e vestuário, sofreu um aumento médio de 9%. Destaque para o preço dos brinquedos que subiu 20%. Já videogame e computador pessoal foram os únicos com queda nos preços no período.

“Depois de forte problema nas cadeias de produção de diversos componentes que envolviam tecnologia durante a pandemia, a normalização tem permitido a queda recente no preço desses itens”, conclui Tatiana Nogueira.

Tabela com a cesta de itens mais consumidos no Dia das Crianças: