HOMENAGEM A MÉSZÁROS

Compartilhe

 

Compartilho aqui a minha singela homenagem ao István Mészáros (1930 – 2017).

A foto, tirada no dia 21 de novembro de 2013, quando Mészáros esteve em Marília/SP para  lançar seu novo livro O conceito de dialética em Lukács, marca o meu único e marcante encontro presencial com ele.

Na ocasião, após a sua palestra, ele estava a autografar livros e conversar com os presentes. Na minha vez, lhe dei de presente um exemplar do meu livro Sistema Orgânico do Trabalho (SOT)do qual já tinha lhe remetido um resumo meses antes por e-mail. Mészáros lembrou-se imediatamente das mensagens que trocamos, e disse ao pé de ouvido, quase como se tivesse confidenciando um segredo: “O seu trabalho é muito, muito importante”, mas o seu olhar, nitidamente, conclamava: “não desista, siga em frente”. E até hoje não desisti, e não desisto de lutar por uma nova sociabilidade, gostaria que de alguma forma ele soubesse.

Talvez um dos maiores filósofos que já viveu nessas terras, mas sem dúvida o que mais influenciou o nosso pensamento e ações, fortalecendo a compreensão de que é perfeitamente possível superar esse terrível status quo  que vivemos hoje, trazendo a possibilidade real de podermos transcender positivamente  frente a servidão destrutiva do capital, e de fato encontrar ou constituir a emancipação social dos trabalhadores! A chave para isso,  que Mészáros repete em muitas passagens no seu célebre livro Para além do capital, está na formação do bloco histórico – com a mediações necessárias – dos produtores livremente associados. O meu livro discute justamente uma primeira e possível configuração dessas mediações, considerando os acúmulos e possibilidades presentes.

Dessa forma, inspirado ou mesmo dialogando diretamente com a sua perspectiva de “ir além do capital”, é que elaboramos a base teórica e uma metodologia de organicidade socioprodutiva do trabalho associado, em conjunto com uma perspectiva direta de luta e implantação (para saber mais, vejam em www.viasot.org), um pequeno exemplo das muitas e férteis sementes que nosso grande mestre, István Mészáros,  espalhou.

Enfim, suas obras, crítica e pensamento vigoroso nos acompanhará, sempre, por isso, MÉSZÁROS estará eternamente PRESENTE, em cada sonho ou aspiração humana por autêntica liberdade, para além dos nossos malditos grilhões…

MÉSZÁROS PRESENTE!