Porto Nacional: prefeitura impõe toque de recolher e proíbe venda e consumo de bebidas alcoólicas em estabelecimentos

As medidas começam a valer nesta sexta-feira e terá duração de 15 dias. No entanto, regras não se aplicam ao distrito de Luzimangues.

Compartilhe

A Prefeitura de Porto Nacional anunciou, no início da tarde desta quarta-feira (5), anunciou as novas medidas restritivas na cidade. As determinações foram deliberadas pelo Comitê de Operações de Emergência em Saúde Pública (COE) ocorrem após o crescimento no número de casos da Covid-19 no município. As regras não se aplicam ao distrito de Luzimangues.

Segundo a gestão, até essa terça-feira (4), Porto Nacional contabilizou 3.994 notificações dos quais, 1.222 são casos confirmados e 14 óbitos e decorrência do novo coronavírus.

Conforme o Decreto Municipal, a partir desta sexta-feira (7), o comércio local funcionará de 5 horas da manhã às 20 horas, pelo período de 15 dias, exceto postos de combustíveis e borracharias que ficam às margens das rodovias.

Conforme o documento, bares e distribuidoras de bebidas só poderão oferecer o serviço ‘delivery’ (entrega em casa) e até às 20 horas. Será proibida a venda, entrega e/ou consumo de bebidas alcoólicas em pizzarias, lanchonetes, lojas de conveniência, pastelarias, espetinhos, quiosques, trailers e afins. Esse tipo de comércio não poderá armazenar, estocar e expor bebidas alcoólicas.

A comercialização de bebidas alcoólicas em supermercados, mercados e mini mercados, também será proibida, devendo estes estabelecimentos bloquear o acesso do público às prateleiras, freezers, geladeiras e outros locais de armazenamento. Essa categoria de comércio poderá adotar o serviço delivery.

Além disso, as academias de ginástica, lutas, musculação, estúdios, danças, treinamentos funcionais, crossfit, natação, hidroginástica e de todas as áreas afins terão seus serviços suspensos. Igualmente não será permitida a utilização de playgrounds, academias ao ar livre, quadras, campos esportivos instalados em praças e parques municipais, bem como, atividades físicas ao ar livre de forma coletiva.

Também fica proibida a realização de qualquer  tipo de festas, eventos e comemorações em residências, chácaras, clubes e afins.

O descumprimento desta determinação, em caso de flagrante delito, implicará na intervenção das autoridades competentes nos locais, para verificação. A medida também observa as regras de distanciamento social, independente do horário.

O decreto também impõe a restrição da circulação noturna, ficando proibida a qualquer pessoa a permanência e o trânsito em vias, equipamentos, locais e praças públicas, das 21h às 5 horas da manhã, de 7 a 22 de agosto.

Estarão fora desta determinação, os deslocamentos pra ida e vinda a serviços de saúde ou situações que fique comprovada a urgência. Estas restrições não aplicam aos servidores, funcionários e colaboradores, no desempenho de suas funções, que atuam nas unidades públicas ou privadas de saúde, segurança, limpeza pública, e manutenção de serviços de água, esgoto e energia.

A secretaria de Saúde do município, Anna Crystina Brito, explica que o contexto epidemiológico da doença foi determinante para que todas as diretrizes fossem anunciadas.

“Desde o início da pandemia, a Prefeitura Municipal tem sido incisiva, com medidas enérgicas para combater a disseminação desse vírus tão violento. Foram muitas as estratégias de enfrentamento na cidade e, também, nos Distritos de Luzimangues, Escola Brasil e Pinheirópolis. Seguimos com o trabalho, na esperança de que as pessoas se conscientizem de que estamos vivendo uma emergência em saúde pública”, resslta.

O descumprimento de todas estas medidas restritivas acarretará penalidades previstas na legislação municipal, sem prejuízo da apuração de ilícitos criminais eventualmente praticados, por infração de medida sanitária (Artigo 268 do Código Penal) e, ainda, interdição direta do estabelecimento e/ou do infrator, pelo prazo de sete dias e ampliado para 15, em caso de reincidência, podendo acarretar a cassação do alvará de funcionamento e/ou multa.

O infrator também poderá ser imediatamente interditado e multado em 100UFM (Unidade Federativa Municipal) o que corresponde a R$ 171,18 e 5000 UFMs, R$ 8.559,00.