Em Palmas, prefeitura adia retorno das aulas remotas na rede municipal de educação

Município justificou que avanço da pandemia prejudicou a mobilização dos profissionais necessários para as transmissões. Teleaulas deveriam começar no dia 3 de agosto.

Compartilhe

A Prefeitura de Palmas decidiu nesta sexta-feira (31) adiar o início das aulas remotas para os estudantes da rede municipal de educação. As transmissões em TV aberta estavam previstas para começar na próxima segunda-feira (3). A nova data divulgada pela Secretaria Municipal de Educação é o dia 9 de setembro.

A prefeitura informou, por meio de nota, que atendeu a uma recomendação do Comitê de Operações de Emergência em Saúde. A avaliação da gestão é que o avanço da pandemia na cidade prejudicou a mobilização dos profissionais, técnicos e professores para tornar as transmissões possíveis.

Segundo a Secretaria de Educação do município, ainda serão necessários ajustes no cronograma de retomada.O retorno das aulas presenciais, que estavam previstas para começar em setembro com 25% da capacidade das turmas, não foram definidas se também terá que ser adiada. A nota afirma que a nova previsão das teleaulas também depende do avanço da pandemia.

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pelo governo do estado desta sexta-feira, Palmas concentra 5.367 confirmações do novo coronavírus e 39 mortes pela doença, sendo a segunda cidade mais afetada no Tocantins. Antes da decisão de Palmas, a rede estadual e o município de Araguaína também havia informado que decidiram adiar o retorno das aulas presenciais. Até o momento, apenas os estudantes da zona rural de Araguaína voltaram para as salas de aula no Tocantins.

Em Palmas, quando começarem, as teleaulas serão transmitidas no canal 5.1. Parte das atividades serão transmitidas pela televisão e outras pela plataforma virtual Palmas Home School. Os responsáveis por alunos que não têm acesso à internet terão acesso a atividades impressas. As famílias vão receber os horários das aulas através de comunicados para que os estudantes não percam as atividades.

As aulas municipais foram suspensas em março deste ano, logo que os primeiros casos de coronavírus foram confirmados no Tocantins.