Em Palmas, 11 recém-nascidos em estado grave aguardam vagas de UTI na maior maternidade do Tocantins

Em março o centro cirúrgico da maternidade chegou ser fechado depois que mulheres e bebês com suspeita de Covid foram internados no local por falta de leitos no hospital.

Compartilhe

Após o retorno da disponibilização das salas de cirurgias utilizadas para internação de pacientes devido à superlotação, o Hospital e Maternidade Dona Regina tem 11 recém-nascidos em estado grave internados dentro do centro cirúrgico enquanto aguardam vagas de UTI ou na Unidade de Cuidados Intensivos (UCI). A informação é da própria Secretaria de Estado da Saúde.

Conforme a secretaria, uma puérpera com suspeita de Covid-19 está isolada em uma das salas de cirúrgica, junto com seu recém-nascido. Outras quatro gestantes foram encaminhadas para unidade hospital de Porto Nacional na noite desta quinta-feira (8) devido à superlotação. A pasta informou ainda que está trabalhando além de sua capacidade “devido à grande demanda dos últimos dias e por ser a única maternidade de Alta Complexidade, portas abertas do Sistema Único de Saúde (SUS), no Estado”.

A Secretaria disse também que a Central Estadual de Regulação de Leitos trabalha diuturnamente para otimizar a utilização das unidades disponíveis em todo o Estado e atender as demandas da melhor forma possível.

Em março o centro cirúrgico da maternidade chegou ser fechado depois que mulheres e bebês com suspeita de Covid foram internados no local por falta de leitos no hospital. Depois, funcionários fizeram um protesto reclamando das condições de trabalho na unidade e da falta e equipamentos de segurança.