Suspeito de matar transexual se apresenta à polícia em Goiânia

Segundo a polícia, Jales Pires alegou que a transexual tentou impedi-lo de ir embora depois que ambos mantiveram relação sexual.

Compartilhe:


O pintor de automóveis Jales Pinto Borges Filho, de 39 anos, se apresentou na Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH) e confessou ter assassinado a transexual de nome social Rony Gonçalves, de 46 anos. Conforme a Polícia Civil, o crime aconteceu na madrugada do último domingo (6).

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Em seu depoimento, o suspeito confessou que o crime ocorreu depois que a vítima tentou impedir que ele fosse embora, após os dois manterem relação sexual. Um dia antes do crime, de acordo com o delegado Francisco Costa, Jales e Ronaldo passaram o dia ingerindo bebida alcoólica e usando drogas na casa da vítima, na Rua C 176, no Jardim América.

Na madrugada de domingo (6), os dois foram para dentro da casa onde, conforme relatou o próprio Jales, continuaram bebendo e usando drogas. Por volta das 4 da manhã, Jales e Ronaldo mantiveram relações sexuais.

Rony foi encontrada morta dentro de casa – Foto: Divulgação

“Em sua versão, Jales alega que depois do sexo queria ir embora, mas a vítima teria tentado impedi-lo. Após agarrá-lo pelo pescoço, ela acabou dando um soco na cara de Jales que reagiu e enforcou a vítima até a morte”, relatou o delegado Francisco Costa.

O delegado disse ainda que, ao contrário do que suspeitou-se inicialmente, nenhum valor ou objeto foi roubado da residência, o que caracteriza o crime somente como homicídio doloso.

Apesar de ter se apresentado de forma espontânea, Jales Borges permanecerá recolhido na Delegacia de Capturas, uma vez que a justiça, a pedido de Francisco Costa, já havia decretado a prisão temporária dele.