Em Goiás: Ginecologista preso por estupro dizia que excitação era necessária para fazer exames

"Ele usava essa justificativa para tocar nelas de forma inapropriada", diz delegada

Compartilhe:

O médico ginecologista Fábio Guilherme da Silveira Campos, de 73 anos, foi preso preventivamente em Goiânia por suposto estupro. Segundo a Polícia Civil, Fábio dizia às suas pacientes que, para realizar determinados exames, elas precisavam ficar excitadas, configurando o crime de “violação sexual mediante fraude”. A prisão aconteceu manhã de sexta-feira (21),

A idade das vítimas e os detalhes sobre como os abusos aconteciam não foram divulgados pela polícia.

Os crimes vieram à tona após um incidente no mês passado, quando o ginecologista foi agredido por um homem no Centro Integrado de Atenção Médico Sanitária (Ciams) do Setor Novo Horizonte. O agressor, marido de uma gestante atendida por Fábio, alegou que o médico havia molestado sua esposa durante a consulta, e o incidente foi registrado em vídeo, levando à prisão do agressor na época.

Foto: Reprodução

Após a divulgação do caso, três mulheres denunciaram Fábio Guilherme à Delegacia Estadual de Atendimento Especializado à Mulher (Deam), relatando que foram vítimas de abuso sexual durante suas consultas médicas.

Duas delas afirmaram terem sido molestadas em 1994, quando ainda eram menores de idade, enquanto outra paciente revelou que o abuso ocorreu há nove anos.