Artista do Jalapão, conhecido por fabricar e tocar viola de buriti, morre em decorrência da Covid-19

Maurício Ribeiro era cantor, compositor e artesão. Eles deixou esposa e três filhos.

Compartilhe:

Maurício Ribeiro da Silva, de 46 anos, conhecido por fabricar e tocar a viola de buriti, morreu devido complicações causadas pela Covid-19. Ele estava internado no Hospital Geral de Palmas (HGP) e não resistiu na tarde deste sábado (2). O óbito foi confirmado pela família.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Segundo parentes, o artista foi internado há cinco dias no HGP e estava com 85% dos pulmões comprometidos. “Os pulmões não estavam resistindo, teve que intubar. Intubou meio-dia, 2h depois da intubação, ele não resistiu. Deu parada cardíaca e não voltou mais”, disse uma cunhada de Maurício.

A morte do artista conhecido em todo o estado causou comoção no Jalapão, a região turística mais conhecida no estado. Parentes informaram que ele será enterrado no povoado Mumbuca, no município de Mateiros.

Maurício deixa esposa e três filhos. Ele era artesão, compositor e cantor. Já fez viagens pelo Brasil ao ser selecionado para participar do Projeto Sonora Brasil, em 2015, com o tema Violas Singulares. O objetivo era mostrar diferentes tipos de violas que não são difundidas no mercado, mas que estão ligadas a uma cultura local.

A fabricação do instrumento é totalmente artesanal. As quatro cordas são feitas com linha de pesca. A matéria-prima é o buriti, palmeira encontrada em abundância nas beiras dos rios de Mateiros.