Agente que ficou conhecido como “Hipster da Federal” é morto ao tentar invadir fazenda em Goiás

O servidor da Polícia Federal ganhou o apelido quando escoltou o ex-deputado Eduardo Cunha à prisão.

Compartilhe:

O agente da Polícia Federal Lucas Soares Dantas Valença, de 36 anos,que ficou conhecido como “Hipster da PF“, foi morto com tiro no peito ao invadir uma fazenda de Buritinópolis, no interior de Goiás, durante possível surto psicótico. Caso ocorreu nesta quarta-feira (2), no povoado de Santa Rita.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

O servidor ganhou o apelido em 2016, ao aparecer de coque e barba para escoltar o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha à prisão. Após o “hipster da federal” viralizar na web, o perfil do agente no Instagram mais que dobrou de seguidores. Hoje, a página possui mais de 111 mil seguidores.

De acordo com o proprietário do imóvel, Lucas surgiu gritando palavras desconexas na porteira, desligou o padrão de energia, invadiu a propriedade e arrombou a porta da casa na sequência. Com isso, o produtor rural alega ter feito um disparo de espingarda no escuro, com objetivo de espantar o invasor, até então anônimo, e proteger sua família. Fazendeiro estava com mulher e filha de três anos no local.

Ao perceber ter atingido o invasor, o morador afirma ter religado o padrão de energia e acionado socorro médico e a Polícia Militar.

Foto: Divulgação

Parentes e amigos de Lucas Soares apontam que ele teria tido um surto psicótico, já que apresentava um quadro de confusão mental desde terça-feira.

Hipster é uma palavra inglesa usada para descrever um grupo de pessoas com estilo próprio e que habitualmente inventa moda, determinando novas tendências alternativas.