Acusado de exigir R$ 2 mil de jovem para não vazar nudez na internet é denunciado pelo MPE

Compartilhe:

Wemerson Pires Cavalcante foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPE)pelo crime de extorsão, exigindo pagamento em dinheiro para não expor fotos íntimas de uma mulher nas redes sociais. As ameaças iniciaram nem abril deste ano, quando Wemerson, mediante grave ameaça, exigiu o pagamento de R$ 2 mil.

>> Siga o canal do "Sou Mais Notícias" no WhatsApp e receba as notícias no celular.

Conforme as investigações, em janeiro último, a vítima iniciou uma amizade virtual pela rede social Facebook com denunciado, o qual havia criado o perfil falso com o nome de Felipe A. Azevedo, tendo, ambos, passado a se comunicar pelo aplicativo Messenger, onde mantinham conversas de cunho sexual, com trocas de fotos intimas e até mesmo vídeos chamadas.

Ocorre que, em determinado momento, a vítima parou de corresponder às investidas de Wemerson, ocasião em que ele passou a intimidá-la e constrangê-la a lhe entregar o valor pedido, sob a ameaça de compartilhar suas fotos intimas com amigos e familiares na internet. Porém, a vítima se recusou a efetuar o pagamento.

Apurou-se que as ameaças se intensificaram e a vítima, coagida e intimidada, aceitou entregar a quantia de R$ 300,00 (trezentos reais) ao denunciado, o qual acertou que o valor deveria ser entregue na Avenida Filadélfia, ocasião em que a mulher, com ajuda de amigos, registrou Boletim de Ocorrência e comunicou os fatos à Polícia Civil.


| O acusado manteve conversas virtuais com a vítima

Acompanhada por agentes de polícia civil, a vítima foi até o local ajustado, deixou o valor e se retirou, tendo o denunciado, minutos depois, se aproximado e apanhado o dinheiro, ocasião em que foi preso em flagrante delito. No momento de sua detenção, o denunciado desobedeceu ordem dos policiais civis.

Diante dos fatos apurados, o Ministério Público do Estado do Tocantins denunciou Wemerson Pires Cavalcante pelos crimes de extorsão e desobediência de ordem legal de funcionário público. As penas pelos delitos praticados podem chegar a dez anos de prisão.

Fotos: Divulgação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *