Em Palmas, retorno das aulas da rede municipal terá formato híbrido e horários diferentes de entrada para cada turma

A retomada está prevista para o dia 3 de agosto nas 78 unidades educacionais do município. Turmas serão divididas em grupos e parte dos alunos vai ficar nas salas de aula enquanto o restante faz atividades online.

Compartilhe

A Prefeitura de Palmas divulgou os primeiros detalhes do plano de retomada das aulas na rede municipal para o segundo semestre de 2021 nesta quinta-feira (15). O retorno está mantido para o dia 3 de agosto nas 78 unidades da capital e o formato será híbrido. As turmas serão subdivididas em grupos e parte dos alunos vai acompanhar as atividades em sala enquanto os demais fazem tarefas em casa.

As escolas terão horários diferenciados para entrada e saída dos estudantes e, também, para o lanche. Ainda não foi informado o cronograma de entrada dos alunos. O objetivo é evitar aglomerações tanto nas portas das escolas, como no transporte público.

Sobre o formato híbrido, a prefeitura informou que “O formato se mostra como uma ferramenta eficiente para o isolamento de contatos em caso de surto e na redução da ocupação dos espaços”. Serão dois grupos de estudantes em cada turma.

O Grupo 1 será composto pelos primeiros nomes da lista de chamada, organizada em ordem alfabética, com aulas presenciais durante uma semana, enquanto o restante dos alunos farão aulas online. Na semana seguinte, o Grupo 2, composto pelos demais alunos, terão as aulas presenciais e o Grupo 1, aulas online.

A prefeitura prometeu providenciar dispensadores com sabonete líquido nos banheiros e com álcool em gel nos pontos de maior circulação. Nas entradas, de acordo com o plano, serão instalados pia e totem de acionamento por pedal para higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel, assim como tapetes sanitizantes.

A previsão é de que todos tenham a temperatura medida nas entradas por termômetros infravermelhos. Segundo a prefeitura, a medição será repetida a cada duas horas. Como em todos os ambientes públicos, o uso de máscaras será obrigatório e os profissionais receberão equipamentos de proteção individual (EPIs).

A prefeitura disse que o plano depende da situação epidemiológica e que o modelo será mantido enquanto o ‘Coronômetro‘, que indica o avanço da pandemia na cidade através de uma escala de cores, continuar verde.

“Acreditamos que será possível retornar dessa maneira, uma vez que todos os profissionais da educação já se encontram vacinados pelo menos com a primeira dose e com a segunda dose prevista para os meses de agosto e setembro”, disse a superintendente da Secretaria de Educação Anice Moura.

Por G1